“Comida sem sal não tem graça”.

Quem nunca ouviu esta famosa frase? Mas, apesar de ser um ingrediente fundamental na culinária, o consumo em excesso pode trazer vários problemas para a saúde.

No entanto, o problema não está apenas no consumo exagerado de sal, mas também no consumo excessivo de sódio, presente em grande quantidade nos alimentos industrializados, principalmente em molhos como ketchup e molho inglês, por exemplo.

O sódio é um mineral que faz parte da composição natural da maioria dos alimentos, mas sua fonte mais abundante é o sal de cozinha. Quando o sal é consumido em exagero, o organismo recebe altas doses de sódio, e aí surgem os problemas.

Cada grama do sal refinado (sal de cozinha) contém 0,4g de sódio, e para cada 9g de sal ingeridas, o organismo retém um litro de água. Quando o sódio é consumido em excesso, o sistema cardiovascular poderá ficar sobrecarregado caso a água não seja eliminada com eficiência. Por isso, minha amiga, beba muita água.

energie-sal

Para as pessoas saudáveis, a dose máxima de sal recomendada pelo Ministério da Saúde é de 5g por dia (2.000mg de sódio). O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que o consumo do brasileiro está em 12 gramas diários, valor que ultrapassa o dobro do recomendado. Lembre-se que 1g de sal é a quantidade existente em cada um daqueles pacotinhos servidos nos bares e restaurantes.

O sal refinado, passa por um processo onde o magnésio e outros minerais são eliminados. Além disso, o iodo natural é destruído durante sua refinação e o iodo de potássio é adicionado em altos níveis, quase sempre níveis tóxicos. Logo, é adicionada dextrose como estabilizadora e um agente de branqueamento para que o sal chegue à cor que conhecemos.

Apesar de ter papel importante no organismo e contribuir para um bom funcionamento do corpo, o consumo abusivo do sal de cozinha pode trazer problemas à saúde. O excesso de sódio, principal componente do sal refinado, está por trás da hipertensão arterial, de pedras nos rins e da insuficiência renal, aumenta as chances das doenças autoimunes, agrava a osteoporose, afeta o paladar e acelera o envelhecimento. O problema aumenta com o passar dos anos, pois quanto mais velhos nos tornamos, menos capacidade temos de eliminar o sódio e com isso perdemos a elasticidade dos vasos sanguíneos. É por isso que os idosos devem tomar ainda mais cuidado com o sal.

O sódio faz o organismo reter mais líquido do que o normal. E isso resulta em peso extra, de acordo com especialistas, outra ameaça do sódio é ser viciante. Quanto mais alimentos carregados desse mineral for colocado no cardápio, mais você desejará consumi-los.

Esses são ótimos motivos para você maneirar no consumo de sódio, que não está apenas no sal branco, mas nos alimentos industrializados, inclusive os doces. É preciso encontrar alternativas para dar sabor aos alimentos e optar por preparações mais saudáveis para não exagerar no sal.

Opções saudáveis

Uma das maneiras mais práticas de diminuir o consumo de sódio é o conhecimento do que se está comendo, comece observando as informações nutricionais no verso das embalagens ao comprar alimentos industrializados. O sódio pode aparecer com outros nomes, como benzolato de sódio, sacarina sódica e glutamato monossódico. Olhe também os rótulos dos produtos que não têm paladar salgado, como adoçantes e ketchups, pois eles podem conter doses elevadas do ingrediente. Evite também pipoca de micro-ondas, macarrão instantâneo, pizza congelada e nuggets: essas delícias são uma verdadeira bomba, pois combinam sódio e gordura.

Opte sempre por alimentos naturais feitos em casa, mas se não for possível, escolha aqueles alimentos industrializados que apresentem menos sódio. Se a quantidade for superior a 400mg em 100g do alimento, é considerado um alimento rico no nutriente, sendo prejudicial à saúde.

Uma boa dica é reduzir a quantidade de sal no preparo da comida, para isso sugerimos temperar apenas com uma pitada, usando a ponta dos dedos e não uma colher, ou substituí-lo por outros condimentos, que inclusive vão dar um sabor melhor. É melhor utilizar ervas desidratadas e temperos naturais, como hortelã, orégano, alecrim, louro, manjericão, salsa, limão ou qualquer outra opção que agrade o seu paladar, já que as ervas têm a vantagem de acentuar o gosto dos alimentos. O uso de temperos industrializados também deve ser evitado, pois contêm alto teor de sódio. Outra dica valiosa é não deixar o saleiro na mesa enquanto faz as refeições para evitar cair em tentação.

Sal de ervas é uma das melhores soluções para substituir o sal de maneira saudável, veja como preparar o seu em casa:

Ingredientes:
» 1 colher (sopa) de alecrim;
» 1 colher (chá) de raspas de limão;
» 1 colher (sopa) de manjericão;
» 1 colher (sopa) de orégano;
» ½ xícara de Sal Marinho.

Modo de preparo:
Adicione todos os ingredientes no liquidificador ou mixer e bata até que fiquem misturados e mais finos. Conserve em um recipiente de vidro tampado.

Outra boa opção é misturar um ramo de alecrim e duas pimentinhas da jamaica em um pouco de sal grosso e colocar tudo numa frigideira até que eles fiquem levemente amornados. Depois, leve tudo ao liquidificador, bata e coloque num vidro fechado por três dias. Fica ótimo!

Lembre-se, quanto menos salgada a comida, mais saudável ela é!

[ ]’s, h.

Anúncios